quarta-feira, janeiro 18, 2006

Poema


O Mar na minha boca

A tua boca
É para mim um mar calmo
Um mar onde os meus lábios tocam
Com a suavidade de uma pena
Que flutua.
Muitas vezes dou por mim
A contemplar-te
Embevecido.
E tocando-te levemente com os dedos,
Crio em teu corpo ondulações
De prazer.
No teu calor
Eu me desfaço completamente,
Para depois resignado,
Me entregar ao cansaço.

(Nelson Lourenço)

2 comentários:

virna disse...

que coincidência, quase publiquei esta foto junto com o poema do cummings.

Maria Costa disse...

Gostei de fazer esta leitura. Beijinhos.