segunda-feira, janeiro 23, 2006

Correspondência vinda por email

O Poeta é Assim

Para J.T.Parreira

Não, não és tu aquele barco
adernado, às escuras, no lago.

Tu és clara voz que enternece
desde o Poço de Jacob
ao vestido que traz o cântaro.

Prendes-nos a respiração
se lamentas com David
em Kaddish a Absalão.

Ameaças ausentar-te e já
és Dilúvio em nossos olhos.

Tu és a Brisa que cicia
o poema a Nova Iorque
que enlaça o seu pescoço
de altiva mulher de Modigliani.

(Rosa Jurandir Braz)
Poeta evangélica, do Brasil, autora de "Frutos para o meu Amado"

2 comentários:

Celso disse...

belo poema. não conheço a autora. bela tradução da Virna, sempre muito competente.

saudações

Ana Maria disse...

belo poema João és um abençoado!
jinhos