sábado, dezembro 17, 2005

O que disse o poeta a propósito do galo

O galo
é o alvoroço
das manhãs

O galo
é uma arquitectura

O galo
na ensonada manhã
é crista, bico
a furar o silêncio
com esporões medievais

O galo
crava as unhas
firmes no vento

O galo
indispensável
ao som obrigatório
das manhãs.


Bom fim de semana!

2 comentários:

Maria do Céu Costa disse...

Disse este bonito "cacarejar" poético. Bom fim de semana.

Ana Maria disse...

Bonito é o meu galo
Vermelho, preto e brilhante
é um garnizo falante
que na boca tem um autifalante.

hihihi

bonito também é o teu galo João.

Jinhos amigo.