quinta-feira, Dezembro 29, 2005

14 Versos do Canto I

«Os Cantos», traduzidos por José Lino Grünewald,
para a Editora Nova Fronteira,
adquirido em 1988 na Livraria Leitura, Porto.
Estava ainda longe a edição «portuguesa», como quase tudo
que aparece «novo» em Portugal.

Canto I

E pois com a nau no mar,
Assestamos a quilha contra as vagas
E frente ao mar divino içamos a vela
No mastro sobre aquela nave escura,
Levamos as ovelhas a bordo e
Nossos corpos também no pranto aflito,
E ventos vindos pela popa nos
Impeliam adiante, velas cheias,
Por artifício de Circe,
A deusa benecomata.
Assim no barco assentados
Cana do leme sacudida em vento
Então com vela tensa, pelo mar
Fomos até ao término do dia.

Boa noite!

Sem comentários: