sexta-feira, dezembro 02, 2005

O (nosso) Tempo que passou

«Janelas do meu quarto,(...)
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,(...)
Com a morte a pôr humidade nas paredes e cabelos brancos nos homens »

(Álvaro de Campos )


Bom Fim de Semana!

2 comentários:

JAG disse...

João,
É pela janela que se respira o mundo, quando se está fechado no tempo.
E se o digo, não é por abrir a porta dos mistérios que entram na morte,mas, porque através da janela tantas vezes, se vê o incomodo quadro de um passar rasteiro, entre as gentes que não crescem.
E é tudo tempo, espaço e silêncio... e a janela do olhar, paisagem da vida.
ZE

Ana Maria disse...

Alvaro de Campos heteronimo de Fernando Pessoa, outra obra a conhecer.
obrigado.