segunda-feira, novembro 21, 2005

A Noite Urbana

Brilham no vento as luzes vigilantes
dos candeeiros públicos,
fogueiras
para as noites húmidas,
agitam-se as cortinas
da janela que tosse,
enquanto dois vultos
se esquivam abraçados
dos últimos olhares,
entre as varandas dos prédios
há quem procure
num quarto nu a intimidade.


Bom dia!

1 comentário:

Ana Maria disse...

a situação de um observador tambem é muito interessante e curiosa-hihihi