terça-feira, novembro 29, 2005

Na véspera do fim

Presságio

Vinham, louras, de preto
Ondeando até mim
Pelo jardim secreto
Na véspera do fim.

Nos olhos toucas tinham
Reflexos de um jardim
Que não o por onde vinham
Na véspera do fim.

Mas passam...Nunca me viram
E eu quanto sonhei afim
A essas que se partiram
Na véspera do fim.

(Fernando Pessoa)

1 comentário:

Ana Maria disse...

amei, amo a obra de Fernando Pessoa.