terça-feira, outubro 18, 2005

Intertextualidades

O NEGRO FALA DOS RIOS

( Langston Hugues)

Eu conheci rios:
Eu conheci rios tão antigos como o mundo e tão velhos
como a corrente do sangue humano nas veias.
Minha alma tem-se aprofundado como os rios.
Eu banhei-me no Eufrates quando eram ainda jovens as manhãs.
Eu construi minha cabana perto do Congo e ele embalou-me o sono.
Eu olhei sobre o Nilo e acima dele ergui pirâmides.
Eu ouvi cantar o Mississippi quando Abe Lincoln desceu
para Nova Orleães, e vi o seu leito de lama dourada no ocaso.
Eu conheci rios:
Velhos, escuros rios.
Minha alma tem-se aprofundado como os rios.

1 comentário:

Ana Maria disse...

a minha tambem neste lindo poema com sabor a sol e a rio.