quarta-feira, outubro 26, 2005

Auto-Retrato

Os aros dos meus óculos
emolduram o mundo
entre os aros dos meus óculos
o mundo apodrece
sem eles os rebanhos
andariam amontoados
na névoa,
nem uma letra
uma palavra, um poema
seria autónomo
e ao mesmo tempo
universo.

1 comentário:

Ana Maria disse...

".../
o mundo apodrece
sem eles os rebanhos
andariam amontoados
na névoa,
nem uma letra
uma palavra, um poema
seria autónomo
e ao mesmo tempo
universo.
.../"
eu vejo o mundo com eles tambem.
João p.f. vai aos mails.