quarta-feira, maio 03, 2006

Poema:

Precisão Artística

Fiz um curso
de águas para as palavras
descerem
até ao mar divino
onde Circe a Temida
espera
marítimos incautos
madeiras exóticas
e barcos frescos
que separam o mar como flechas
Desviei das sombras
e das pedras
das duras palavras
todos os meus versos
Do feltro cor de cinza
dos dias salvei
alguns, quase todos
os vesti de tule
agora estão nus.

4 comentários:

Maria Costa disse...

Lindo este curso corrido na precisão poética.

Beijinhos.

hfm disse...

Depuradas e belas é esta poética.

delusions disse...

Belo e complexo o curso desse rio...Lindo poema cm sempre...

*****

Ana Maria disse...

o miticismo no curso do tempo de rochas.

um abraço