segunda-feira, maio 22, 2006

O Caos e as Colunas

«A Criação» Litografia de Chagall, série A Bíblia, 1960


A terra, porém, era sem forma e vazia
Génesis, I, 2


O caos era jovem, ainda
não havia
cabelos brancos nos cometas
o colo da noite, as mãos
da noite
eram a única nudez

O verde não trocava com o azul
nuances de mar e céu
não havia nada nem cor
de terra, ninguém
como nós, um véu
distendia a face do abismo


Colunas gregas seriam um sonho
de lucidez, uma dádiva de Deus
para a tortuosidade
do homem.

1 comentário:

Rotação dos tempos disse...

Está lindo este poema.
Um abraço