sábado, maio 13, 2006

O beijo percorre as esquinas da face

O beijo percorre as esquinas da face
não reconhece aparências
como o sol, é cego
exaurindo as flores
percorre arestas
e ângulos
procura o vulcão
por vezes nos lábios
prefere ao magma
a cinza de um olhar
o trémulo vale
das pálpebras
onde o olho se debate
o beijo cúmplice
das mãos
as mãos que suportam
a harmonia das faces.

3 comentários:

hfm disse...

"prefere ao magma
a cinza de um olhar"
Belíssimo!

Maria Costa disse...

O percurso do beijo poético. Gostei do ritmo do poema.

Beijinhos.

Ana Maria disse...

um beijo e um jinho um sopro de lábios!