quinta-feira, abril 20, 2006

Duelos (póstumos)

As Casas

Prometeu ser virgem toda a vida
Desceu persianas sobre os olhos
alimentou-se de aranhas
humidades
raios de sol oblíquos

Quando lhe tocam quereria fugir
se abriam uma porta
escondia o sexo

Ruíu num espasmo de verão
molhada por um sol masculino.

(Luiza Neto Jorge, 1939-1989)

Le Case

Promisse d'esser vergine per tutta la vita
Abbassò persiane sugli occhi
si alimentò di ragni
umidità
raggi di sole obliqui
Quando la toccano vorrebbe fuggire
se aprivano una porta
nascondeva il sesso
Rovinò in uno spasimo d'estate
bagnata da un sole mascolino.

(Tradução:C.V.Cattaneo)

1 comentário:

Maria Costa disse...

Grande poeta a Luisa Neto Jorge.
Gostei de ler aqui esta tradução C.V.Cattaneo.

Beijinho, João.