quinta-feira, março 23, 2006

Sylvia Plath

Sheep in Fog

The hills step off into whiteness.
People or stars
Regard me sadly, I disappoint them.

The train leaves a line of breath.
O slow
Horse the colour of rust,

Hooves, dolorous bells -
All morning the
Morning has been blackening,

A flower left out.
My bones hold a stilness, the far
Fields melt my heart.

They threaten
To let me through to a heaven
Starless and fatherless, a dark water.

Ovelhas no Nevoeiro

As colinas descem para a brancura.
Estrelas ou pessoas
Com tristeza olham-me, desiludo-as.

O comboio deixa uma coluna de hálito.
O ronceiro
Cavalo cheio de ferrugem,

Cascos, dolorosos guizos -
Toda a manhã a
Manhã tem escurecido,

Uma flor esquecida.
Meus ossos sustêm a quietude, distantes
Campos abrandam o meu coração.

Ameaçam
Levar-me através de um céu
Sem estrelas e sem pai, uma água obscura.

(Tradução: J.T.Parreira)

5 comentários:

Maria Costa disse...

gostei de ler.

beijinhos.

delusions disse...

que bonito...triste mas bonito...fica bem*

hfm disse...

Sylvia Plath sempre! Gostei da tradução nada simples.

virna disse...

bela tradução, trabalhada. tenho só uma sugestão no final, veja o que você acha: "sem estrelas e sem pai".
um abraço,
virna

J T Parreira disse...

Virna, obrigado pela sugestão. Semântica e tecnicamente parece-me melhor. Sylvia Plath sentiu sempre a falta precoce do Pai.Corrigi.
Um abraço
João