terça-feira, fevereiro 07, 2006

Robert Lowell

Middle Age

Now the midwinter grind
is on me, New York
drills through my nerves,
as I walk
the chewed-up streets.

At forty-five,
what next, what next?
At every corner,
I meet my Father,
my age, still alive.

Father, forgive me
my injuries,
as I forgive
those I
have injured!

You never climbed
Mount Sion, yet left
dinosaur
death-steps on the crust,
where I must walk.


Meia-Idade

Agora o pleno inverno enruga
a minha pele, Nova Iorque
perfura os meus nervos,
quando percorro
as ruas desgastadas.

Aos quarenta e cinco,
que virá a seguir? e depois?
Em cada esquina,
encontro o meu Pai,
com vida e a minha idade.

Pai, perdoa
minhas feridas,
como eu perdoo
aqueles que
feri.

Tu nunca escalaste
o Monte Sião, mas deixaste
velhas
pegadas de morte sobre a crosta,
onde tenho de andar.

(Tradução: J.T.Parreira)

3 comentários:

Maria Costa disse...

Mais uma tradução ao "estilo" J.T.Parreira.
Beijinhos.

Rotação dos tempos disse...

Father, forgive me
my injuries,
as I forgive
those I
have injured!

You never climbed
Mount Sion, yet left
dinosaur
death-steps on the crust,
where I must walk.

Perfeito, este poema!

virna disse...

muito bonito o poema, ótima tradução. hoje tem novidades lá no blog: acabei de publicar outro dueto, um poema de williams.
um abraço,
virna