quarta-feira, julho 01, 2009

A árvore que entristece

Piet Mondrian, Árvore

A árvore batida a vento
entristece a tarde

mas um som longínquo
uma flauta de pastor
acende uma luz serena
nas horas
antes que o manto negro
insista em abafar a vida
com o silêncio da noite.

30-6-2009

(Brissos Lino)



Poema tirado de Aqui

1 comentário:

Diego Jurado Lara disse...

Precioso poema, como todos los tuyos. Una suerte poder entenderlos, y un placr leerlos e tu lengua, tan hermosa, tan profunda, tan emocional y sugerente.
Un abrazo.
Diego Jurado