quarta-feira, janeiro 27, 2010

A ave aflita do meu beijo

Chagall, Paisagem Azul

Quando a minha mão
contém a tua mão
quando os meus olhos contêm
os teus olhos
Quando a minha língua
desagua em tua boca
para levar para dentro de ti
o meu desejo
Eu sei como te amo
quando os teus lábios andam longe
e não te encontra
a ave aflita do meu beijo.

27/1/2010

3 comentários:

hfm disse...

Quando a poética salta de cada palavra o poema faz-se.

Fabiana disse...

lindo!

Ana Paula Pinto Lourenço disse...

Lindo!
Belísssimo!
Gostei muito!