quarta-feira, setembro 20, 2006

Poema para um futuro Outono

Óleo de Marc Chagall


Quero que saibas que ainda
não tens saudades minhas
Espera o tempo
em que a luz do outono
vai entrar
por uma janela cinzenta
E um cristal emergirá do silêncio
das tuas lágrimas
Espera
que as praças fiquem
com a luz amarela das folhas
Nem mesmo no dia em que rostos
parcialmente escondidos
por detrás de lentes tristes
sigam o corpo
ainda não terás saudades minhas
A saudade é uma névoa que inicia
levantar-se sobre as coisas
que sempre dividimos.

19-9-2006

2 comentários:

Maria Costa disse...

Lindo.

Beijinhos.

hfm disse...

Um poema que há que reler mais do que uma vez - intenso e belo!