quarta-feira, outubro 20, 2010

As mãos de Lascaux

As mãos de Lascaux estendem-se
até aqui, pequenas
marcas deixadas para trás
desde o fundo da terra
as mãos de Lascaux
não vemos, mas repartem o silêncio
que a pedra não fechou
Não se chamam mãos
chamam-se vento, amor e água
e medo
também penso em universo
embutido na parede.

16/10/2010

3 comentários:

hfm disse...

Meu amigo este vai para o meu caderno velhinho juntar-se aos meus apontamentos sobre Lascaux, melhor, engrandecê-los.

Sem palavras!

maria manuel disse...

belo! o tanto que dizem «as mãos de Lascaux».

abraço, João.

José María Souza Costa disse...

Muito lindo o poema Adorei de verdade O seu blog é belissimo Estou lhe convidando a visitar o meu blog, e se possivel seguirmos juntos por eles Estarei lá de braços abertos lhe esperando
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com